473 - Vigília Matutina

 


[1]
Apenas rompe a aurora,
Eu penso em ti, meu Deus,
E para o céu levanto
Os lassos olhos meus.
Minha alma sequiosa
Por seu Deus suspirou,
Meu ser, ansiosamente,
Divina paz buscou.

[2]
Cansei-me no deserto
Em meio da aridez
De sendas, de caminhos
Que a mente humana fez;
Agora me comprazo
Em tua eterna lei,
E nos teus átrios santos
Feliz me prosternei.

[3]
O teu amor imenso,
Do bem inspirador,
Infunde na minha alma
O mais sincero amor.
Teu nome a vida inteira
Eu quero engrandecer,
E aos céus, para invocar-te,
Humildes mãos erguer.

Pe. Antonio Pereira de Sousa Caldas

Nenhum comentário:
Comente!COMENTE!