365 - Refúgio

 


[1]
Ó bondoso Salvador,
Sê tu meu amparador!
Negras ondas de aflição,
Fortes ventos perto estão.
Deste espanto e do terror
Vem salvar-me, ó bom Senhor,
E no porto faze entrar
Minha barca sem quebrar!

[2]
Consternado nesta dor,
Sem refúgio, sem vigor,
Meu medroso coração
Clama a ti por salvação.
Mostra o teu imenso amor,
Ó benigno Salvador!
Poderosa e clara luz,
Não me deixes, ó Jesus!

[3]
Compassivo Redentor,
Vale a um triste pecador!
Vida e gozo tu me dás,
Graça infinda, eterna paz.
Enche o débil coração
Com os dons da salvação,
E, seguro, e sem temor;
Gozarei do teu favor.

Sarah Poulton Kalley

Nenhum comentário:
Comente!COMENTE!